Abaixo-assinado pede o aumento do número de bolsas PQ do CNPq para Matemática e Estatística

quarta-feira, 24 de julho de 20130 comentários



Um abaixo-assinado no site Petição Pública destinado ao Presidente do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) pede o aumento do número de bolsas de Produtividade em Pesquisa (PQ). O texto do abaixo-assinado, criado pela comunidade Matemática e Estatística Brasil, reivindica o fim da disparidade entre o número de bolsas PQ para Matemática e Estatística em relação a outras áreas da ciência.

Segundo o site do CNPq, a bolsa PQ é destinada a pesquisadores que se destaquem entre seus pares, valorizando sua produção científica segundo critérios normativos. Como benefício o pesquisador recebe uma mensalidade (de R$ 1.000 a R$ 1.500) e um adicional de bancada (de R$ 1.000 a R$ 1.300). A duração varia de 36 a 60 meses, de acordo com o enquadramento do pesquisador.

Leia a íntegra abaixo:

O período imediatamente posterior à defesa de uma tese de doutorado é uma fase decisiva para a definição da carreira de um pesquisador. Por isso os instrumentos de incentivo à pesquisa, administrados pelas agências de fomento -- em especial, pelo CNPq -- são cruciais na definição da carreira que se delineia. Especial relevância possuem as bolsas de Produtividade em Pesquisa do CNPq (bolsas PQ). Ao longo das últimas décadas, constata-se uma situação de evidente desvantagem na distribuição dessas bolsas PQ para a grande área Matemática & Estatística (M&E) relativamente às demais áreas da ciência básica.
A título de exemplificação, realizamos recentemente um levantamento comparativo envolvendo as grandes áreas de Física e M&E. A primeira conta atualmente, segundo o mapa de recursos da página do CNPq, com 920 bolsas PQ enquanto a segunda conta com apenas 370 bolsas PQ. Resolvemos coletar, como medida da demanda ao incentivo à pesquisa, os seguintes dados em 23 das maiores instituições de ensino e pesquisa do país: Número de docentes com doutorado na área (Física/M&E) trabalhando nos Departamentos/Institutos de Física/M&E, respectivamente. Feita a coleta desses dados nessas 22 instituições, que incluem todas as mais importantes, chegamos aos dados que constam na tabela em anexo. Em resumo: 1223 doutores em Física versus 1226 doutores em M&E.
Acreditamos que esses dados por si, sem a necessidade de qualquer análise mais profunda, demonstram de maneira eloquente uma aguda e indesejável disparidade: 920 bolsas PQ para 1223 doutores em Física em contraste a 370 bolsas PQ para 1226 doutores em M&E. Note-se ainda que 75,2% dos doutores da Física são bolsistas PQ, enquanto somente 30,2% dos doutores em M&E são bolsistas PQ.
Sendo assim, torna-se imperioso efetuar aumento imediato e substantivo do número de bolsas PQ para a grande área de Matemática e Estatística. É imperioso que os pesquisadores dessas áreas contem com fomento a suas atividades de pesquisa compatíveis com sua dimensão e importância. 
A tabela com os dados mencionados acima pode ser baixada clicando aqui.

Os signatários


O abaixo-assinado pode ser assinado aqui. http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2013N42716

Até a publicação deste post 610 pessoas já assinaram.
Compartilhe :
 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2011. Estatisti.co - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger